segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

01/01

Se a gente não olhar pras pequenezas, não adianta sonhar com o grande. Não haverá alegria, só ânsia. Mas, se houver gratidão, a vida trará motivação pra sorrir e você também poderá construir o que faça seguir e arquitetar mais degraus. Também haverá o que chorar com certeza. Haverá feridas. E cicatrizará se tudo correr bem - mesmo que demore. E virão mais pequenezas, mais caminhos.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

30 ORAÇÕES

1 Que eu lembre que nada é absoluto;
2 Que eu perceba o que é passageiro;
3 Que eu entenda os ciclos;
4 Que eu respeite o tempo;
5 Que as situações que se destinem a me fazer sorrir não sejam motivo de preocupação;
6 Que eu não fantasie desastres;
7 Que eu aceite também quando o presente não for favorável;
9 Que eu esteja mais no aqui e agora;
10 Que eu sonhe;
11 Que eu entenda quando o sonho não é possível;
12 Que haja coragem diante do medo improdutivo;
13 Que eu rompa com o que houver de romper;
14 Que eu viva o novo que seja necessário viver;
15 Que eu seja sincera comigo;
16 Que eu seja generosa comigo;
17 Que eu reconheça a minha força;
18 Que eu identifique meu potencial para produzir mudanças;
19 Que eu saiba me despedir;
20 Que eu continue me permitindo chorar se necessário;
21 Que eu agradeça por aquilo que faz meu coração bater mais rápido de alegria ou expectativa;
22 Que eu compreenda, aceite e tente lidar com aquilo que faz meu coração bater de angústia;
23 Que eu respeite o meu cansaço quando ele vier;
24 Que eu tente respirar e seguir devagar quando tudo parecer correr;
25 Que eu não dependa da aceitação do outro para viver o que é autêntico, funcional e ético;
26 Que eu ria com os meus amigos e amores;
27 Que a responsabilidade seja bem maior que a culpa;
28 Que os desequilíbrios sejam vividos como motivos para me refazer;
29 Que eu seja grata;
30 Que eu celebre a vida!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Primeira pessoa

Você sempre me disse que eu não seria capaz
de ser firme nas minhas decisões,
que eu pensava demais,
sentia demais.

Mas, toda vez que eu me decido,
você ainda me recusa.
Você diz que minha coragem é loucura,
que me falta amadurecer o que decido.

Você tem a contradição em você.
Você tem medo,
muito medo.
E não quer perder de novo.

E me fez acreditar
num eu que eu não era.
E me reduziu,
pensando que me preservava.

Você fez, do amor, gaiola,
mas sempre fui pássaro livre.
Engraçado que também foi ninho
(fez-me forte e sensível outrora).

Você me dizia:
não dependa de ninguém.
Você também me deu asas.
Porém, queria que dependesse de você.

Por um tempo,
sua dor foi minha dor,
seus medos foram os meus.
E passou.

O pássaro pousou em cima da gaiola;
enfeitou-a de flores;
deixou a portinhola aberta;
e deseja refazer ninhos.

Estou pronta.
Que não seja prisão.
Que seja ninho.
Só isso.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Fundamento

Escuta.
Antes de tudo,
Escuta.
Sente.
Troca de cadeira.
Calce os sapatos,
Entenda os calos.
Porque há muito calado,
E você não tem o direito de julgá-lo.
Não é direito seu julgar.
É seu dever escutar.
Escuta.
Sem prejulgamentos.
Tente se afastar
Das suas conclusões,
Das suas escolhas,
Das suas crenças.
Elas são só suas.
Escuta.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Libélula

No dia que eu sentir de partir,
estarei grata - eu sei.
Tudo o que me construí,
Sorrindo, abraçarei.

Dos dias que sim eu quis fugir,
Acredito que não lembrarei.
Porque, no peito aqui,
De saudades já chorei.

Mas eu terei que me despedir.
Outra placa assim seguirei.
Cada passo que vivi
Morará no que guardei.

Meu lugar já foi aí.
Fique bem.
Ficarei no aqui,
Em mim, sempre em mim.

Meu lugar é em mim.


Ao meu amor desde 1987,
àqueles que me deram a luz,
o solo,
ao meu lugar.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Géiser

Nem parece, mas nasci com o peito fervente. Demorei muito pra entender isso.

Alguns outros achavam que eu era água fria e já até me convenci disso, porque tudo morava no peito. De vez em quando, esquentava o rosto ou confundia a barriga. Às vezes, visitava os pés. Mais tarde, mudava pra um pedaço de papel escondido. E agarrava na garganta por eu achar o meu fervor sem valor.

Confesso que ainda volta a cabeça, pesando ou fervendo, porém se faz palavra, pelos dedos ou pela boca. E, finalmente, sei que preciso dizer.

domingo, 29 de outubro de 2017

Jardinagem

Sofri quando percebi que parte do que tinha nutrido tinha que ir embora.
Mas a vida novamente me ensina.
Sentir e chorar podas é preciso. Lembrar que nem sempre será perda e dor, também.

Tudo se renova. Às vezes, se expande, dá um passo adiante. E seguimos bem.