sexta-feira, 14 de agosto de 2015

02 MUND05

Tire os chinelos e entre.
Venha me conhecer.
Beba o café que fiz do jeito que gosto,
pouco açúcar e muito pó.
Que você o estranhe,
mas tome dele.

Que eu te estranhe,
toque,
escute,
aprecie,
reconheça
o que há
(ou não)
de mim em você
e que eu me estranhe,
mude,
permita.

Pense a minha voz,
sinta os meus olhos,
leia a minha história,
veja os meus cortes,
colha as minhas maçãs.
Coma elas e digira,
transforme em energia,
faça parte do que você é.

Que sejamos dois estranhos.
Que sejamos um.
Que sejamos outro(s).

2 comentários:

  1. Belo jogo metafórico de palavras! Gosto do verso de uma palavra apenas. Ele diz muito quando amarrado à métrica melódica, à rima e à lírica. Parabéns!

    ResponderExcluir